quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Igreja e Torre dos Clérigos (Parte I)

A igreja da irmandade de São Pedro dos Clérigos, no Porto, organiza-se em três corpos justapostos - igreja, dependências da irmandade e torre sineira - tendo esta ultima tal impacto visual que se transformou no ex-libris da cidade.

Torre da Igreja dos Clérigos


O projecto foi desenhado por Nicolau Nasoni, que nasceu em Itália e trabalhou em Siena, onde terá adquirido a sua formação de base.
À passagem por Roma, seguiu-se uma estadia em Malta, onde trabalhou para o Grão Mestre D António Manuel de Vilhena.
Aí conheceu também Roque Távora e Noronha, irmão do deão da Sé do Porto, D. Jerónimo.
Foi assim, concerteza, que acabou por ser convidado para se mudar para aquela cidade, onde já estava em 1725, a trabalhar na Sé, edifício onde deixou a sua marca.
A primeira obra portuguesa que se lhe deve integralmente é a igreja vulgarmente conhecida como "dos clérigos", por ser pertença da irmandade com o mesmo nome, da qual já era presidente o já referido D Jerónimo Távora e Noronha.
O projecto foi aprovado em 1731 e no ano seguinte teve lugar a cerimónia de colocação da primeira pedra.
As obras arrastaram-se por largos anos, durante os quais o projecto inicial foi sendo alterado e adaptado.


João Pires

Igreja e Torre dos Clérigos (Parte II)

Igreja e Torre dos Clérigos (Parte II)

A construção da igreja colocava alguns problemas interessantes, a que Nasoni soube responder com soluções criativas e indubitavelmente eficazes.
A dificuldade maior prendia-se com o formato o lote, longo mas estreito.

Para tirar pleno partido desta situação, Nicolau Nasoni rejeitou a formula usada tradicionalmente em Portugal de colocar as torres na fachada e retirou-as antes para as traseiras, libertando assim espaço na frente da igreja (o projecto inicial incluía duas torres, solução depois substituída por uma só torre).
Ao mesmo tempo a inclinação da rua, hoje dos clérigos confere uma grande verticalidade à fachada, efeito sublinhado pela rotação do seu eixo em relação à rua.
Por fim, Nicolau Nasoni conferiu à torre enorme altura (75 metros) e decorou-a com grande variedade de formas atribuindo-lhe o protagonismo do conjunto.

A conjugação de todos estes factores dá lugar a um incontornável efeito de monumentalidade.
A originalidade do projecto mantém-se no interior da igreja. Aqui, ao corpo rectangular da fachada segue-se a nave única de planta oval, solução rara no contexto da arquitectura portuguesa.
Na verdade a nave é composta por duas paredes separadas por um corredor.

A parede exterior faz com que, quando vista de fora, a nave pareça um polígono alongado de lados menores arredondados. Pelo contrário, a parede interior corresponde a uma verdadeira elipse, verticalmente ritmada pela utilização de grandes pilastras de ordem compósita, entre as quais se abrem portas, janelas e altares.

A capela-mor é rectangular e liga o corpo da igreja à casa dos clérigos, por sua vez ligada à torre, ultimo elemento desta progressão de volumes cada vez mais estreitos, acompanhando a definição do terreno.
O granito profusamente decorado cobre a fachada principal e a torre, enquanto nas fachadas laterais é apenas usado para elementos estruturais (pilastras e entablamento), portas e janelas.

Assim se estabelece uma hierarquia visual de volumes. No interior da igreja, a decoração é rica e abundante em efeitos policromáticos, conjugando-se a pedra, a talha dourada e a pintura.


domingo, 3 de agosto de 2014

PortoCartoon laughing at the world

Begun in 1999, PortoCartoon quickly became a focal point for humorous design on a wolrd scale. Hundreds of cartoonists have participated in it every year, with cartoons that have exalted the universal language of the cartoon.
Dealing with different themes, the cartoons demonstrate very well the reflexive strength of humour on the problems that most preocupy the world. War, pollution, hunger, consumerism, scarcity of water, abuse of power are some of the topics that the cartoonists pencils analyse with mordacity and artfulness.
The affirmation of the cartoon as one of the most universal languages is clear.
It is a very good expression of the world.

Porto, 3rd august 2014

Joao Pires